sábado, 26 de agosto de 2017

Criminosos aplicavam estelionato virtual com nome de chefe da polícia

Uma quadrilha de estelionatários usava o nome da Polícia Civil para aplicar golpes em proprietários de veículos roubados ou furtados. As vítimas eram ludibriadas através de um perfil criado nas redes sociais, fazendo com que as pessoas imaginassem estar em contato com a instituição. No final, acabavam sendo ameaçadas e extorquidas. Os criminosos empregavam inclusive o nome do chefe de Polícia, delegado Emerson Wendt, para dar maior credibilidade ao esquema.

A quadrilha foi descoberta pela Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos, que desencadeou uma operação na manhã de sexta-feira. Os policiais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em Novo Hamburgo. Foram recolhidos equipamentos eletrônicos, como celulares e notebooks que foram encaminhados para análise.

Segundo o delegado João Paulo de Abreu, a especializada apurou que os golpistas ofereciam serviços de recuperação de motos e veículos roubados ou furtados. Após o contato, as vítimas acabavam sendo extorquidas. “Verificamos que a imagem da Polícia Civil estaria vinculada ao perfil social, induzindo as vítimas ao erro, já que não desconfiavam se tratar de um golpe. Assim, acabavam fornecendo informações e dados pessoais via WhatsApp”, explicou João Paulo de Abreu.

A investigação chegou aos envolvidos através de acessos nas redes sociais. Além de estelionato, os suspeitos de aplicarem o golpe devem responder por extorsão e falsidade ideológica praticados pela Internet.