quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Dilma Diz: Aumentei os impostos para proteger o Brasil

Prepare os bolsos, pois dentro dos próximos meses os aparelhos eletrônicos devem ficar ainda mais caros no Brasil. Isso porque a presidente Dilma Rousseff sancionou, na última segunda-feira, 22, uma medida provisória que autoriza o aumento de imposto para produtos importados.

A MP 668 foi transformada na Lei 13.137/2015 e institui que o PIS/PASEP subirá de 1,6% para 2,1%, enquanto o Cofins vai de 7,6% a 9,65%. Assim, o combo PIS/Cofins, que as empresas têm de respeitar no momento da importação, passará dos atuais 9,25% para 11,75%, o que fatalmente respingará no mercado de produtos eletrônicos.

Como lembra o Tecnoblog, há produtos eletrônicos que não serão impactados por estarem enquadrados na Lei do Bem. São smartphones, por exemplo, que tenham sido fabricados no Brasil, custem até R$ 1,5 mil e contem com um pacote de aplicativos locais.

SACRIFÍCIOS
Dimlma, sobretudo a alta na taxação dos combustíveis, na inflação e se forçarão uma alta maior dos juros. "Decisões do Copom sempre olham o conjunto da economia", disse.

O ministro defendeu que as medidas de "equilíbrio fiscal" têm objetivo de "aumentar a confiança da economia", e que essas ações estão sendo tomadas "de forma a alcançarmos com menor sacrifício possível a retomada do caminho do crescimento".

"No conjunto, o efeito é aumentar a confiança, a disposição das pessoas em investir, tomarem riscos, de o empresário começar a pensar em novas coisas. Isso reflete nos indicadores financeiros", defendeu.

Ele citou que esse ajuste de impostos é mais um passo no seu projeto de reequilíbrio fiscal, que começou com a redução de subsídios nos empréstimos do BNDES, maiores restrições a benefícios, como seguro desemprego, auxílio doença e pensão por morte, e os cortes prévios no orçamento.